Alergias

.


Alergias

As causas da alergia nos seres humanos e animais são muito semelhantes, mas a manifestação dos sintomas da alergia são bastante diferentes. Enquanto que nas pessoas os sintomas mais comuns das alergias são de natureza respiratória ou nasal, tais como bronquites e rinites acompanhadas ou não de coriza, nos animais e principalmente nos cães, a principal característica da alergia são problemas relacionados com a pele. O animal alérgico se coça sem parar e na maioria dos casos esta coceira leva ao aparecimento de inúmeras outras doenças de pele que tornam tanto o diagnóstico quanto o tratamento uma tarefa difícil e demorada.

De uma maneira geral, o animal começa a manifestar os primeiros sintomas da doença alérgica a partir de um ano de idade, podendo em alguns casos especiais manifestar-se com idades de 4 a 6 meses. Qualquer animal de qualquer raça pode desenvolver a doença alérgica devido principalmente aos fatores de ordem genética. Dentre as raças mais predispostas podemos citar: o Cocker Spaniel, Rotweiller, Akita, Retriever do Labrador, Golden Retriever, Poodle, dentre outras.

O sintoma mais característico do início da doença é o animal lambendo ou mascando as patas e roçando o corpo contra móveis, paredes e debaixo da cama. Com a evolução do processo e dependendo da gravidade dos sintomas ou da ocorrência de outras doenças de pele, estes animais começam a coçar o corpo todo, podendo levar ao aparecimento de feridas localizadas ou espalhadas pelo corpo. Estas feridas quase sempre se contaminam com as próprias bactérias existentes nas patas e na pele do animal, fazendo com que o processo se espalhe pelo corpo todo.

O que causa as alergias?

As alergias resultam de um sistema imunológico que, em um certo sentido, está atuando de maneira excessiva quando encontra com uma substância que para a maioria dos animais ou pessoas não constitui um problema. Estas substâncias (e são milhares delas) têm a denominação científica de alérgenos. Como exemplo, podemos citar um animal que entra em contato com uma substância tão inofensiva quanto pólen de flores. Este simples contato com um animal alérgico, vai iniciar uma reação em cadeia que envolve várias partes do sistema imunológico, levando o animal a se coçar sem parar.

De alimentos a pulgas, passando por pólen de flores ou árvores, grama, tecidos, carpetes, mofo e bolores, pó caseiro, fumaça de tabaco, e inúmeras outras substâncias, estes animais podem se tornar alérgicos a absolutamente qualquer coisa, chegando em muitos casos a levar a si mesmo e aos proprietários a uma situação desesperadora. Somente quem tem ou já teve um animal nesta situação, pode avaliar a veracidade do que estou falando.

As doenças alérgicas podem ser confundidas com outras doenças, como a dermatite seborréica (caspa), piodermites, que são as infecções na pele causadas por bactérias, sarna sarcóptica ou demodécica, também conhecida como sarna negra e muitas vezes estas doenças podem aparecer associadas com a alergia propriamente dita.

Quando os proprietários devem começar a desconfiar que seu animal é alérgico?

Basicamente, o animal alérgico se coça sem motivo aparente. Este fato vai depender de inúmeros fatores e está diretamente relacionado a quais substâncias o animal é sensível. Por ex.: Se o animal é alérgico a pólen de árvores ou flores, os sintomas vão se tomar mais visíveis na Primavera. Se as causas da alergia estiverem dentro de casa, tais como: poeira, ácaros, tecidos ou alimentos, provavelmente estes sintomas se manifestarão durante todo o ano.

Como se diagnosticam as doenças alérgicas

Até muito pouco tempo atrás, diagnosticar com precisão as causas de alergia era uma tarefa muito difícil que envolvia muito trabalho e perseverança por parte dos Médicos Veterinários, e mesmo com todo este trabalho na maioria das vezes não se conseguia chegar a um diagnóstico preciso.

Há alguns anos, foi desenvolvido primeiramente no Estados Unidos e depois em vários outros países, um teste bastante sensível que consegue diagnosticar as causas da alergia através de um exame de sangue. Este teste é muito sofisticado porque consegue detectar uma proteína chamada IgE, presente em minúsculas quantidades no sangue e que pode estar aumentada nos animais que sofrem de doenças alérgicas. Por exemplo: Se um animal é alérgico a pulgas, ele vai ter esta proteína chamada IgE contra pulgas, presente em um nível aumentado no sangue. O mesmo ocorre se o animal é alérgico a várias outras substâncias. Sendo assim, a aplicação deste teste vêm revolucionando o diagnóstico da alergia em todos os países onde ele vem sendo aplicado, auxiliando em muito o trabalho dos Médicos Veterinários que se dedicam a esta especialidade.